Aubergine-J.png

urema

Jurema solta um suspiro e depois de dar um adeuszinho ao Seu Manuel, que está resfastelado na jacuzzi, abre a portinhola que separa a varanda da cobertura 01 da cobertura 02.

Não é que esteja cansada ou algo parecido. Nada disso. Segundas, quartas e sextas costumam ser seus dias preferidos… mas depois que, Fátima, a depravada da cobertura do prédio em frente também começou a frequentar a cobertura 01 às quartas-feiras… bom agora só as segundas e sextas são seus dias favoritos. 

É que seu marido, o Seu Manuel, um português muito mais velho, barrigudo, bigodudo e riquíssimo – dono de uma companhia de ballet privada e muito famosa, diga-se de passagem – tem… hmm… certos interesses estranhos… bom, estranhos é pouco, mas enfim… Seu Manuel passou a obrigá-la a sair pela porta da frente ao invés de retornar pela portinhola, e tudo isso porque quer que ela faça uma proposta para a depravada.

Proposta esta que Jurema ainda não conseguiu fazer.

Jean-Marc, o proprietário da cobertura 01, vem recebê-la, vestindo um robe curto atoalhado, com os cabelos ainda molhados, cheiroso como sempre. Provavelmente tomou um banho após o atendimento anterior.

— Cherie —, cumprimenta, puxando-a logo para um beijo na boca delicioso que deixa Jurema tonta de tesão.

O francês gostosão não perde tempo e logo Jurema está nua, deitada de barriga para baixo, na espreguiçadeira à beira da piscina, e Jean-Marc está lhe aplicando uma deliciosa massagem com óleos aromáticos.

Ela relaxa, as mãos mágicas do francês subindo por suas panturrilhas, desfazendo toda a tensão das horas de exercício árduo na barra. 

Jurema é bailarina e após o casamento com o Seu Manuel conseguiu chegar ao posto de substituta da primeira bailarina.

Ela geme suavemente quando sente Jean-Marc acaricia-la e levantar seu quadril, posicionando-se atrás dela. Escuta o splash da água da jacuzzi e o grunido alto do marido, ordenando: — Enfia tudo nela. 

Talvez deva fazer a proposta que Seu Manuel insiste tanto que faça à depravada. Ela é bem bonita e cheirosa, também. Se for igual às segundas, quartas e sextas, não seria um grande sacrifício. Sacríficio nenhum, ela pensa, entregando-se por inteiro ao orgasmo sem igual que o francês lhe proporciona três vezes por semana.

E o que Jurema mais quer na vida é o posto de primeira bailarina. 

De A a Z, Contos Femininos Apócrifos

será publicado em livro digital e físico em final de Dezembro de 2021 ou começo de Janeiro de 2022.

O anúncio será feito na minha newsletter (você pode se inscrever para receber a notícia aqui mesmo, basta clicar neste link) e pelo meu Instagram.